Cosm by Studio 7.5

Para o estúdio de design alemão Studio 7.5, representado por Carola Zwick, Roland Zwick e Burkhard Schmitz, a última peça desenvolvida para a marca americana Herman Miller representa a epítome de todas as suas criações: um design que oferece uma nova referência para um conforto instantâneo e personalizado. Após anos de experimentação e teste, a tecnologia de inclinação automática da cadeira Cosm garante o máximo conforto e adaptação a si e à sua postura.

Os objetivo dos designers era desenvolver uma cadeira que permitisse uma movimentação natural e leve, tendo em consideração os seus precedentes, a cadeira Mirra, Setu e Mirra 2. De acordo com Roland “Queremos sempre que uma cadeira permita a mudança de posturas com a maior facilidade, sendo apenas possível com os ajustes necessários e corretos. A cadeira Cosm oferece estas mesmas qualidades instantaneamente.”

A tecnologia de inclinação de cadeiras pode ser comparada com o sistema de transmissão de um carro. Alguns são manuais, sendo que outros são automáticos, como a cadeira Cosm. Outros modelos de inclinação automática forçam o corpo a se adaptarem á movimentação da inclinação, sendo a cadeira a tomar essa decisão por nós. Ao contrário das restantes, a tecnologia de inclinação automática da cadeira Cosm, adapta-se aos seus utilizadores e aos diferentes corpos independentemente da sua postura, oferecendo um conforto personalizado e uma inclinação equilibrada e focada em si.
Em conjunto com a Herman Miller, o estúdio 7.5 aperfeiçoaram esta tecnologia através de um mecanismo sintonizado e complexo. Conforme a força vertical que coloca na cadeira, esta move-se automaticamente ajustando a sua tensão de acordo com o peso e a força.

O processo meticuloso de desenvolvimento de diversos protótipos feitos à mão ou impressos a 3D serviu como caminho para o desenvolvimento desta cadeira incrível, tendo em atenção não só a tecnologia de inclinação como outras características. De acordo com Bukhard “Um dos maiores desafios, ou oportunidades, foi determinado pela forma como o material de suspensão e a estrutura se integraram perfeitamente oferecendo assim um design elegante e um conforto total.” Isto foi possível através de pequenos ganchos que permitem esta união sem influenciar o apoio nas partes de maior tensão. Este pequeno detalhe é um exemplo perfeito da perícia e habilidade de produção num ambiente industrial oferecendo a possibilidade de compreensão do seu processo de design. Carola acredita que “é importante compreender facilmente como estamos a ser apoiados ao sentar, mesmo não sendo um mecânico ou engenheiro a analisar a sua composição”.

O design ergonómico da cadeira Cosm é realçado pelos braços em forma de folha (nunca antes desenvolvidos). Inicialmente, este design foi testado com um pedaço de espuma envolto em madeira, no entanto, com o tempo, decorreram mudanças tanto no seu formato, como tamanho e nomes (cadeira de mota, tubo para os braços e até orelhas de Dumbo).
Burkard explica que “o cotovelo é uma parte muito delicada da nossa anatomia, necessitando de um apoio suave e firme para máximo conforto”. “O braço em formato de folha da cadeira Cosm, segue a linha funcional e de design da cadeira oferecendo uma estética simples e delicada aliada a um conforto supremo”.
Tendo em conta a forma como trabalhamos nos dias de hoje, os braços da cadeira foram desenvolvidos de forma a se adaptarem a uma variedade de ambientes e utilizações. O seu comprimento permite que se segure num telefone ou num livro confortavelmente e a sua orientação inclinada adapta-se facilmente à secretária sem necessitar de mudar a altura da cadeira.

Apesar dos designers terem dedicado uma grande percentagem do tempo de desenvolvimento da cadeira Cosm na parte técnica e de engenharia, o foco no seu design e na sua aparência não foi menosprezado de forma alguma. A sua forma escultural e a continuidade dos materiais pela cadeira permitiram o desenvolvimento de uma peça unificada e não um conjunto de diferentes partes. Este senso de unificação é refletido na composição dos materiais e acabamentos apresentando a cadeira como uma só, do seu topo à sua base. De acordo com Bukhard “a cadeira é feita de diferentes metais e peças, no entanto, a sua aparência reflete uma peça única e incrivelmente contínua.”

Em alemão, a palavra design é traduzida como entwerfen, que, à letra, significa “atirar”. De acordo com a designer Carola, isto é refletido no ato de “atirar algo um pouco fora do tradicional ou com irreverência de forma a encontrar a direção certa”. No caso da cadeira Cosm, o estúdio 7.5 e a Herman Miller “atiraram” de forma a desenvolverem o design mais sofisticado e sublime até hoje.

“Na sua natureza, o design é colaborativo”